A ciência comprova: o estudo por recompensa lhe fará passar no seu concurso

pexels-photo-249360.jpeg

Há quase 60 anos, os pesquisadores James Olds e Peter Milner, da Universidade McGill, localizaram um sistema dentro do cérebro cuja função especial é gerar comportamentos baseados na busca de recompensa. Desde então, estamos elucidando mais e mais o poder desta técnica estimuladora. O estudo para concurso, por exemplo, demanda uma regularidade comportamental rigorosa, que pode ser alcançada através de descobertas científicas como esta. Vamos explicar tudo o que você precisa saber agora, vejamos:

1 A importância de aplicar esta técnica ao estudo

2 Como aumentar a motivação para estudar

3 O estudo que comprovou a maior eficácia da recompensa, comparada à punição

4 Evite as autopunições

5 Como aplicar à sua preparação para concurso

1 A importância de aplicar esta técnica ao estudo

A relevância desta metodologia reside no seu caráter disciplinador e diferencial. O que isso quer dizer? Significa que o estudo por recompensa permite ao concurseiro ser mais disciplinado, o que associado a uma boa técnica de aprendizado, como o que estudar para concurso, plano de estudo para concurso e a melhor forma de estudar para concurso apresentadas por nós, vai acelerar a sua aprovação no concurso.

Além do mais, poucos concurseiros procuram utilizar a ciência como aliada. Apegam-se apenas aos métodos tradicionais, que tem algum mérito, entretanto, como tudo na vida, precisam ser atualizados e aperfeiçoados.

Diante de tal contexto, quando você lançar mão de metodologias científicas como a de recompensa, estará desenvolvendo um diferencial importante para ficar mais bem colocado na lista dos aprovados do seu concurso. Você só tem a ganhar.

pexels-photo-212286

2 Como aumentar a motivação para estudar

Já escrevemos o que estudar para concurso com toda a rota a ser seguida para manter a motivação em alta para estudar. No plano de estudo para concurso, evidenciamos as técnicas mais eficientes para tornar-se mais disciplinado. O presente artigo vem a somar neste assunto porque as pesquisas que citaremos aqui contribuem para a motivação e disciplina.

A pesquisa empreendida na década de 50 pelo psiquiatra Robert Heath, da Universidade de Tulane, associada à investigação de Olds e Milner, nos permite concluir que a recompensa estimula algumas regiões do cérebro, capazes de reforçar um comportamento, bem como produzir sensações de euforia e prazer.

Os resultados indicam que podemos aproveitar o estímulo das recompensas para reforçar um comportamento específico: o estudo (leitura, revisão e prática de questões). Assim, o comportamento será adotado com maior motivação. O seu estudo receberá maior dose de motivação. Indiscutivelmente, estamos em face de uma excelente oportunidade de tornar a sua preparação mais intensa e potente.

wood-coffee-iphone-notebook

3 O estudo que comprovou a maior eficácia da recompensa, comparada à punição

Mas não basta identificar que a recompensa é uma aceleradora de aprovações. É necessário verificar que esta é mais eficaz do que a técnica de punir pelos erros e indisciplinas cometidos durante a preparação.

A resposta para a supramencionada reflexão é deduzida pela pesquisa realizada na Universidade de Harvard e publicada na prestigiada revista Science. Nela, o cientista David Rand e seus colegas comprovaram que a recompensa é mais eficiente do que a punição para reforçar comportamentos e alcançar os resultados almejados pelas pessoas.

Aqueles que foram submetidos à recompensa tinham maior propensão em cooperar com outras pessoas e, inclusive, atingiam objetivos melhores do que aqueles que viviam sob regime punitivo. Ademais, os recompensados obtinham resultados ainda maiores do que aqueles inicialmente imaginados como meta.

pexels-photo-248152

4 Evite as autopunições

Isso significa que devemos evitar autopunições. A esmagadora maioria dos concurseiros usam a autopunição como técnica, mesmo que às vezes de modo inconsciente. É comum os ver lamentando o dia não estudado por preguiça. Sentindo-se mal, frustrado e de consciência pesada.

Muitos passam a achar que não são capazes de constituir maior disciplina ou de passar no concurso. Esse pensamento negativo e pessimista representa forte autopunição. Reduz cada dia mais a autoestima e dificulta gravemente a preparação.

pexels-photo-235355

Convidamos-lhe a adotar uma nova postura. Demonstramos cientificamente que este comportamento é destrutivo. Agora indicamos que você deve substituir a autopunição pela recompensa. Saiba como aplicar esta última técnica ao seu estudo a seguir.

5 Como aplicar à sua preparação para concurso

O primeiro passo da aplicação da recompensa consiste em traçar metas. O estabelecimento dessas metas foi explicado mais detalhadamente na melhor forma de estudar para concurso. São três os tipos: metas de primeiro contato, metas de revisão e metas de questões.

Aquelas de primeiro contato dizem respeito ao estudo de assuntos novos. As metas de revisão são compostas pelos retornos aos assuntos novos. Quando tratamos das metas de questões, referimo-nos a quantidade de questões de prova que serão resolvidas. Elas devem ser estabelecidas simultaneamente, não é correto eleger um período de dias apenas para assuntos novos, períodos exclusivos de revisões e lapsos dedicados somente às questões. Essas três atividades devem ocorrer sempre, convivendo e fazendo parte da sua rotina.

O ideal é que as metas refiram-se a uma quantidade a ser alcançada ao final de uma semana. Destarte, a organização deve ser, por exemplo, assim: 100 páginas de assuntos novos a serem estudadas nesta semana; 50 páginas a serem revistas nesta semana; 150 questões de provas a serem resolvidas nesta semana.

Vale ressaltar que, revisando, você aprende muito mais do que deixando de revisar. Sabemos que a primeira impressão é a de que seria impossível ter tempo para revisar tudo. Mas há uma técnica científica que torna possível a revisão sem tomar muito tempo e evitando o cansaço. Para aprender a aplicar o supracitado método de rever temas, basta ler este plano de estudo para concurso.

Bom, cumprindo as metas referidas acima (100;50;150) durante a semana, elas autorizarão a recompensa. Ela deve ser algo que lhe dê prazer, como um passeio ou um encontro com os amigos, tendo em vista que manter ativa a vida social também é essencial, pelos motivos explicitados ao definir o que estudar para concurso. É indicado que a recompensa seja recebida aos finais de semana, depois de verificado o cumprimento das metas. Durante a semana, o foco é a realização das metas. A semana seguinte será de novos objetivos e nova busca por recompensa.

pexels-photo-325521

É fundamental não se permitir viver a recompensa caso a meta não seja alcançada, até porque, a dita recompensa recebida sem justa causa não é recompensa. O recebimento sem merecimento desmotiva e retira o valor que somente a conquista proporciona.

Assim, aplique esta metodologia ao estudo. A motivação para alcançar os pequenos objetivos semanais serão a sua energia para realizar a grande meta: passar no seu concurso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *